Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de junho, 2017

A VISÃO DE PAULO SOBRE O CRISTÃO

A VISÃO DE PAULO SOBRE O CRISTÃO Nossas orações sempre revelam um pouco do nosso íntimo. Elas mostram, em certa medida, o nosso caráter, as nossas preocupações e o modo como vemos as coisas e o mundo. O Apóstolo Paulo, em sua carta aos Efésios, registrou uma oração, na qual se nota como ele enxergava o cristão. Essa visão sobre o seguidor de Cristo, nesse texto, pode ser observada também em toda a sua extensa literatura. Para ele, o cristão não é um homem ou uma mulher que, simplesmente, adotou uma religião cristã, mas alguém que foi alcançado e transformado pelo amor e pelo poder de Deus (3.14-21). Nesse processo, Deus se aproxima do homem e se deixa ser alcançado por aquele que o busca, acolhendo-o e transformando-o em um filho (Romanos 8:9-14,16). Ele faz isso porque o ser humano, em seu estado de Queda, isto é, separado de Deus, encontra-se em condição degradante tanto no corpo como na alma e no espírito. Paulo entende esse estado de corrupção como morte. Aquele hom

A INFLUÊNCIA DOS CANANEUS EM ISRAEL

É possível que alguns, ou talvez muitos, leitores do blog não tenham gostado dos textos Consumismo e Ativismo Religiosos e Uma Nova Estética Religiosa, pois neles discorro sobre a influência da ideologia neoliberal na vida da igreja e dos cristãos. Como citei e comentei algumas fraquezas da igreja atual, é provável que me tenham tomado por presunçoso. Mas o evangelho ensina, como no caso do filho pródigo (Lucas15.11-32), a olharmos para nós mesmos, vermos onde temos errado e nos voltarmos para Deus. A igreja e seus líderes precisam fazer isso. O homem é, em essência, um ser relacional. Está sempre em contato com o outro em constante troca de experiências e vivências. Por esse motivo, o cristão é chamado por Jesus para adotar uma posição de influência. Ele disse: “vocês são o sal da terra ... vocês são a luz do mundo” (Mateus5.13,14). Embora seja inevitável que não sejamos moldados pelo meio, isso não deve chegar ao ponto de desfigurar a vida espiritual que alcançamos em Cr

CONSUMISMO E ATIVISMO RELIGIOSOS

Não resta dúvida de que a influência do neoliberalismo atinge todas as áreas da vida do chamado mundo ocidental cristão, inclusive a espiritual, ao ponto de originar uma nova estética religiosa. Essa doutrina política e econômica, que defende a não participação do estado na economia, criou um modo de vida marcado pela competição, egoísmo, imediatismo e consumismo. O ser humano foi coisificado e reduzido a mero componente da grande engrenagem de produção e consumo.   O sentido da vida e a felicidade, agora, estão na capacidade de adquirir bens. A pessoa, então, submete-se a rigoroso esforço educativo para inserir-se no mercado de trabalho, mesmo que isso a torne alguém que não gostaria de ser. Prisioneira do sistema, é alvo de falsas necessidades geradas pelo marketing que cria valor nos bens. Estes, porém, por causa do lucro e do avanço tecnológico, tornam-se, rapidamente, ultrapassados o que faz as pessoas desejarem os modelos mais recentes, entrando em um círculo vicioso.   O re