Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de outubro, 2017
O HOMEM COMO UM PRODUTO DO COSMO No texto A CONDIÇÃO HUMANA, recentemente postado neste blog, ao refletir sobre o homem, enfatizei o seu aspecto de “ser criado” e, portanto, sujeito à vontade de seu Criador. No entanto, é opinião de muitos que o ser humano não vem de uma criação, mas de uma evolução da matéria, no tempo. Se assim for, o homem, como um ser originado da matéria inerte, isto é, não viva, que por meio de reações químicas espontâneas e aleatórias originou uma célula inicial da qual todos os seres vivos derivam, não deve satisfação a ninguém e, como um ser em mudança, é livre para construir a sua própria existência. Tal posicionamento é respaldado na teoria sobre a origem do universo, o “Big Bang”. De acordo com essa pesquisa, há 13,9 bilhões de anos, toda matéria existente se encontrava concentrada em uma microscópica partícula inicial, que, em um dado momento, explodiu e a espalhou no espaço, formando o mundo que vemos hoje. Após a explosão, teve início um proces

A CONDIÇÃO HUMANA

A CONDIÇÃO HUMANA Quem já leu a Bíblia, da primeira à última página, sabe que ela começa e termina com uma enigmática "árvore da vida". Com certeza, isso não ocorre por uma razão simples. Qual o significado dessa “árvore”, visto que ela ocupa posições relevantes na profecia bíblica? Esse tema das Escrituras constitui um daqueles muitos para os quais não alcançamos uma compreensão aprofundada. No entanto, é possível falar sobre ele no que tange à condição humana. A “árvore da vida” tem sua primeira aparição, no texto bíblico, no contexto da narrativa da Queda, isto é, no momento em que o homem decide afastar-se de Deus. Ao primeiro homem, foi permitido comer de qualquer árvore do Éden, inclusive, dela, da “árvore da vida”, menos comer da “árvore do conhecimento do bem e do mal” (Gênesis2.16,17). Há de se observar, contudo, que não existem, no texto, elementos que indiquem que essa ordem do Criador derive de circunstâncias de ordem material. Isto é, não se trata da ex