Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de julho, 2018

MUITO ALÉM DA RELIGIOSIDADE

MUITO ALÉM DA RELIGIOSIDADE O Apóstolo Paulo representa o exemplo mais marcante de que uma vida religiosa nem sempre significa uma vida com Deus. Uma pessoa pode ser zelosa e séria em sua prática religiosa, mas, ao mesmo tempo, estar longe de Deus. Embora muitas religiões falem do Criador, seus seguidores não possuem uma vida espiritual genuína, pois não tiveram um encontro pessoal com Ele. São apenas fiéis seguidores de uma tradição religiosa humana, que embora tenha uma aparência de sagrada, é incapaz de aproximar o homem do verdadeiro Deus. É nesse ponto que se fundamentam as “guerras santas”, onde pessoas matam outras em nome de Deus. Cegos, espiritualmente, amam mais a sua religião do que ao próximo. Paulo foi assim. Segundo o evangelista Lucas, durante o apedrejamento de Estêvão, “as testemunhas deixaram seus mantos aos pés de um jovem chamado Saulo... e Saulo estava ali, consentindo na morte de Estêvão” (Atos7.58,60). Alguns estudiosos veem, nessas palavras, Paulo c

NOSSA VIDA IMAGINÁRIA NO OUTRO

NOSSA VIDA IMAGINÁRIA NO OUTRO Uns mais outros menos, todos vivemos uma vida imaginária diante dos outros. Construímos uma imagem positiva e agradável para mostrar ao mundo. Assim fazendo, não somos nós mesmos, não vivemos nós mesmos. Essa face social com a qual nos relacionamos com as pessoas constitui, apenas, uma construção nossa, pois não queremos revelar o nosso verdadeiro rosto. Em momentos de introspecção, olhamos para nós mesmo e tomamos consciência de nosso verdadeiro eu. Mas logo voltamos à imaginação. Por que isso acontece? O pensador francês Blaise Pascal escreveu sobre essa disfunção humana: “não nos contentamos com a vida que temos em nós e em nosso próprio ser; queremos viver uma vida imaginária na imaginação dos outros e, para tanto, esforçamo-nos em fingir. Trabalhamos incessantemente para conservar e embelezar nosso ser imaginário, negligenciando o verdadeiro ... a grande marca do vazio de nosso próprio ser é não estar satisfeito com um sem o outro e tr