Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de maio, 2020

A DEVOÇÃO DO CORAÇÃO

Os capítulos cinco, seis e sete de Mateus constituem o chamado “sermão do monte”. Nesse discurso, Jesus apresenta uma nova visão sobre a vida espiritual, contrastante com a noção de espiritualidade legalista e formal que os religiosos, de sua época, ensinavam ao povo. Por serem muito focados no cumprimento da Lei e na prática do ritual religioso, o resultado de seus ensinos era, na maioria das vezes, o desenvolvimento de uma religiosidade morta e fingida diante de Deus e dos homens. Jesus, então, fala, entre outras coisas, sobre o que chamamos de “a devoção do coração”. Ele diz: “tenham cuidado de não praticar as ‘obras de justiça’ diante dos outros para serem vistos por eles... quando você der esmola, não anuncie isso com trombetas, como fazem os hipócritas nas sinagogas e nas ruas para serem honrados pelos outros... E quando vocês orarem, não sejam como os hipócritas. Eles gostam de ficar orando em pé nas sinagogas e nas esquinas, a fim de serem vistos pelos outros... Quando jejuar

A REDENÇÃO CÓSMICA

Como comentado, no texto Novos Céus e Nova Terra, postado recentemente no blog, o grande beneficiário do grave problema pelo qual passou a humanidade, com a pandemia do covide-19, é a natureza, o sistema ecológico mundial ou, para falar em termos teológicos, a Criação. O planeta, o habitat humano, recuperou-se um pouco da agressão que o sistema mundial provoca a ele. Assim, é relevante expandir um pouco mais a reflexão sobre a questão, pouco tratada na Igreja, da redenção cósmica.  O fato de o ecossistema do planeta se recuperar, devido a redução da atividade humana sobre ele revela a estrita relação da matéria, do mundo físico com o homem. O ser humano e o universo são ambos entes de uma mesma criação. A queda de um corrompe também o outro e foi o que aconteceu no Éden. A decisão adâmica de desobedecer ao Criador não apenas alterou sua natureza pessoal como também sujeitou toda a criação ao pecado, deixando-a sob maldição.   Diz o texto de Gênesis: “...maldita é a terra por sua

A CENTRALIDADE DE DEUS NA ORAÇÃO

O ensino de Jesus sobre a oração coloca Deus, e não nós, em seu centro. Tanto Mateus quanto Lucas mostram isso e revelam que o falar com Deus se relaciona mais com a nossa espiritualidade do que com a satisfação de nossas necessidades materiais.  Segundo os registros desses autores, a oração não pode ser posta a serviço de nossas ambições materiais, pois ela é um meio de nos relacionarmos com o Pai. É esse relacionamento que nos tornará pessoas preparadas e fortes para enfrentar e vencer o mundo. Nos EUA pode ser adquirido na versão impressa. Nosso livro sobre oração publicado na amazon.com.br. Click no link, abaixo, e dê uma verificada: https://www.amazon.com.br/SENHOR-ENSINA-NOS-ORAR-ENSAIO-CENTRALIDADE-ebook/dp/B01I23HJE6/ref=sr_1_4?__mk_pt_BR=%C3%85M%C3%85%C5%BD%C3%95%C3%91&keywords=Senhor%2C+ensina-nos+a+orar&qid=1588790753&sr=8-4