Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de novembro, 2019

OS EXCLUÍDOS EM LUCAS

Não era fácil a vida em Israel, à época de Jesus. Pelo menos para mulheres, crianças, pastores, pobres e “pecadores”. Essas pessoas eram vistas como sem valor na sociedade judaica do primeiro século. Esse fato é notado pela especial atenção que o evangelista Lucas dedica à forma como Jesus tratava esses seres humanos. Os registros do terceiro evangelho mostram que os judeus, embora marcados por forte expressão religiosa, constituíam, em verdade, uma sociedade machista e discriminatória. As mulheres eram tidas como seres inferiores, uma propriedade dos homens. Não tinham acesso ao ensino religioso. “Os rabinos consideravam pecado ensinar uma mulher” [1]. Lucas, porém, mostra Jesus ensinando-as com o mesmo esmero com que ensinava os homens. Para Ele, as mulheres também tinham um papel no plano de Deus. O evangelista registrou que não apenas os apóstolos acompanhavam Jesus “pelas cidades e povoados proclamando as boas novas do Reino de Deus”, mas também algumas mulheres “que

CIÊNCIA E FÉ

É verdade que, hoje em dia, ainda existem cientistas cristãos e outros, mesmo não cristãos, que creem na existência de Deus. Contudo, o grande projeto da Ciência é um mundo sem Deus. A maioria dos estudiosos desse campo do conhecimento humano não considera Deus em suas equações. Três razões podem explicar esse fato: uma é o desejo de autonomia do homem caído e morto, do ponto de vista espiritual; outra, talvez, seja a falta de razoabilidade das religiões criadas pelo homem sem Deus; e a terceira está no fato de a Ciência ser incapaz de examinar Deus e a realidade espiritual. De fato, de acordo com a Bíblia, foi o desejo de uma vida autônoma que levou o primeiro homem a não obedecer a Deus. Após o passo que resultou na Queda, o ser humano morreu espiritualmente e, por isso, não discerne a realidade espiritual. Longe de Deus, mas desejoso por Ele, o homem criou religiões, mas a sua práxis, muitas vezes, afasta as pessoas sensatas de Deus. Muitas religiões alienam o ser humano do mu

O DEUS ABSCÔNDIDO

Um breve olhar sobre a humanidade e logo se observa que ela se encontra imersa em um profundo processo de dor, sofrimento e angústia. Há, no mundo, guerras, rumores de guerras, fome, doenças e catástrofes. Alguém pode perguntar: “onde está Deus?”. Até mesmo, entre os cristãos, mesmo entre os que vivem uma vida de devoção, em certos momentos de dor e sofrimento, sentem uma ausência e um silêncio de Deus. Como entender isso? Estará Ele alheio ao sofrimento humano? De fato, o Antigo Testamento trata, com frequência, sobre o ocultamento de Deus. Smith (2001, p.99) afirma que há trinta e duas referências que falam que Deus esconde o rosto, os olhos, os ouvidos e que Ele se oculta. O Salmo 10:1, por exemplo, diz: “Senhor, por que estás tão longe? Por que te escondes em tempos de angústia?”. Já Isaías afirma: “verdadeiramente tu és um Deus que se esconde, ó Deus e salvador de Israel” (45:15). Esse ocultamento “refere-se principalmente à sua inatividade em favor de seus adoradores e ao