Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de março, 2017

OS CAVALEIROS DO APOCALIPSE

Jesus, em um de seus últimos discursos aos discípulos, próximo ao templo de Jerusalém, falou de um período da História humana, sem precedentes, marcado por grande sofrimento e angústia. Ele disse: “porque haverá então grande tribulação, como nunca houve desde o princípio do mundo até agora, nem jamais haverá” (Mateus 24: 21). De acordo com o Apóstolo João, esse período começará com o aparecimento da emblemática figura dos quatro cavaleiros do Apocalipse. É claro que não se trata, exatamente, de cavaleiros, mas de acontecimentos apresentados de forma estilizada nos moldes da literatura apocalíptica que é altamente simbólica. Esses acontecimentos constituem os quatro primeiros selos do livro que Jesus recebeu das mãos de Deus, o Pai (5:7). Nesse livro, constam as ordens divinas para a destruição sistema humano, caracterizado pelo pecado e idolatria para posterior implantação de uma nova ordem de coisas com “novos céus e nova terra” (21:1). Essas ordens aparecem nas formas de “sete se

APOCALIPSE: NARRATIVA

APOCALIPSE: NARRATIVA O livro de Apocalipse é de difícil compreensão. Não é fácil entender até mesmo a linearidade de sua narrativa. Assim, com o intuito de ajudar àqueles que desejam conhecê-lo um pouco mais, apresento, neste texto, uma síntese da sequência dos principais eventos de seu enredo. Este, por sinal, inicia com João, desterrado na ilha de Patmos por causa do testemunho de Cristo. No dia do Senhor, isto é, no domingo, João, em Espírito, vê Jesus em sua forma celestial, que o ordena a escrever o que vê, em um livro, e a enviar às sete igrejas da Ásia (1-3). Depois, ele vê uma porta aberta no céu e uma voz o convida para entrar. De repente, encontra-se na sala do trono de Deus que, como não tem palavras para descrevê-lo, o chama de “aquele que está assentado no trono”. Este segura em sua mão direita um livro selado com sete selos. Jesus, ao receber das mãos de Deus esse livro,  é adorado por “milhares de milhares e milhões e milhões”  de anjos, que estavam ao redor

APOCALIPSE: INTERPRETAÇÕES

APOCALIPSE: INTERPRETAÇÕES O livro de Apocalipse apresenta uma complexa narrativa. Seu texto contém elementos da literatura epistolar, apocalíptica e profética. Por isso recebe uma diversidade de interpretações. Há quem o veja em uma perspectiva, meramente, idealista. Isto é, ele não trata de acontecimentos históricos. Seus quadros simbólicos contêm, apenas, verdades espirituais referentes ao conflito entre o Reino de Deus e as forças espirituais do mal. É claro que essa é uma interpretação precária, pois é fácil observar, nesse texto joanino, a existência de eventos passados e futuros em sua narrativa. Outros, dentro de uma visão preterista, defendem que ele foi escrito para encorajar a igreja do primeiro século que passava por perseguições. Estudiosos do texto grego, na Europa, aceitam essa interpretação. É fato, e o próprio texto confirma, que esse livro foi escrito para as “...sete igrejas da província da Ásia” (1.4). Também é aceitável supor que a igreja primitiva tenha

OS ANJOS NA IGREJA PRIMITIVA

OS ANJOS NA IGREJA PRIMITIVA Há quem veja o cristianismo como uma religião muito boa que traz paz ao homem. De fato, a fé cristã tem esse lado de confortar o coração aflito. Contudo, as Escrituras mostram que o cristianismo é mais que isso: é o movimento de Deus em direção à humanidade para resgatá-la do poder do pecado e das trevas. Tal ação, porém, ocorre em meio a adversidades. O Apóstolo Paulo, por exemplo, vê, na atividade da pregação do evangelho, uma luta “contra as forças espirituais do mal” (Ef6.12). É nesse contexto que se encontra a ação dos anjos na igreja primitiva.  De acordo com o autor de Hebreus, os anjos são “espíritos ministradores enviados para servir aqueles que hão de herdar a salvação” (1.14). Assim, Deus os usa para ajudar seus servos na luta pela implantação de seu Reino. Isso pode ser visto, claramente, no livro de Atos, no começo da igreja de Cristo. Logo no início do livro, após a ascensão de Jesus, os apóstolos ficaram olhando para o alto como sem s